Abrace o Planeta
Plástico e 4R´s
Plástico e 4R´s


 
O que você pode fazer?
 
1. Escolha com consciência.
 
Substitua o saco de lixo convencional pelo oxibiodegradável. 
 
O plástico oxibiodegradável é tão resistente quanto o saco normal, pode ser reciclado e, se descartado, se degrada completamente em 18 meses após contato com calor, oxigênio, luz ou agentes biológicos até se reduzir a nada mais que CO2, água e humus, não deixando fragmentos de polímeros de petróleo no solo. Saiba onde comprar no item Produtos verdes
  
2. Reduza o consumo
 
Recuse sacolas e sacos plásticos e tenha sempre a mão sacolas retornáveis. 
 
Adquira sacolas retornáveis. Escolha sacolas reforçadas, fáceis de limpar e com bom espaço interno para guardar suas compras. As sacolas de tecido são boas para compras "secas" como roupas, remédios, etc., enquanto as impermeáveis são melhores para "produtos molhados ou que sujem a sacola" como os de feira e supermercado. Saiba onde comprar em Produtos verdes.
 

Carregue sempre na bolsa uma ou duas sacolas plástica dobradas e amarradas com um elástico,
pois no início, é comum esquecer de levar a sacola retornável com você. Esta é uma opção leve, que faz pouco volume e é muito útil. Sempre que precisar, terá uma sacola a mão. 
 
Nos EUA, 2 designers tiveram uma idéia: criaram a sacola Baggu, feita de nylon com um saquinho para guardar na bolsa. Elas são resistentes, bonitas e cabem em qualquer canto.
 
 
 
Leve nas compras de feira, sacolão ou supermercado sacolas retornáveis com sacos plásticos dentro para colocar itens como verduras e frutas. Já deixe essas sacolas sempre preparadas dentro do carro para não esquecer de levá-las na hora H. Também use as sacolas nas compras no jornaleiro, padaria, papelaria, shopping, etc.
 
Reutilize caixas de papelão grandes ou caixas plásticas desmontáveis para compras em grande quantidade no supermercado. Elas são uma alternativa para as sacolas retornáveis. Coloque-as no carrinho para fazer as compras ou, se preferir, deixe-as no carro, faça todas as compras, coloque no carrinho, passe no caixa e coloque novamente no carrinho. Quando chegar ao carro, organize tudo nas caixas e sacolas retornáveis levar para casa.
 
 
Reduza o consumo de copos e pratos descartáveis
 
Os descartáveis são feitos sempre a partir de matéria-prima nova, consumindo um recurso finito: petróleo. Ao reciclar um copo plástico, ele se transformará em outro artigo plástico, mas não é possível transformá-lo em outro copo plástico descartável.
 
Deixe na mesa de trabalho seu próprio copo, caneca ou garrafa reutilizáveis. 
 
Leve com você um squeeze ou garrafa de água reutilizável: na academia, no carro, no parque,... 
 
Em festas e encontros com amigos, prefira usar copos e pratos reutilizáveis. Não são tão práticos quanto os descartáveis, mas também não levarão 200 anos para se decompor. Os pratos descartáveis geralmente ficam tão sujos que não são aceitos para reciclagem, a menos que sejam lavados antes. Se decidir lavar, o descartável deixou de ser tão prático e vale a pena adotar os reutilizáveis. 
 
Em festas e encontros com amigos, identifique os copos descartáveis. Deixe canetas de escrever em transparência/plástico para que cada um identifique seu copo descartável com nome e possa reutilizá-lo durante a festa.

Se você decidir que a utilização do descartável é a única solução para a sua necessidade: Dê a preferência a copos e pratos biodegradáveis. Já existe no mercado a oferta de bons substitutos ao plástico e ao isopor, que utilizam a matéria prima de fontes renováveis como a fécula de mandioca e outros.
  
 
3. Reutilize o que for possível.
 
Reaproveite sacolas e sacos plásticos e leve sempre na bolsa ou sacola retornável para embalar novas compras ou itens. Se quiser algo com pouco volume, dobre as próprias sacolas plásticas, pois elas cabem em qualquer canto da bolsa.
 
Evite amarrar os sacos plásticos com um nó forte, para poder abrí-los sem rasgar e reutilizá-los nas próximas compras. 
 
Lave os sacos plásticos sujos, coloque para secar no varal, prendendo-os com a abertura para baixo.
 
 
4. Recicle  
 
Todo tipo de plástico rígido ou flexível é reciclável. Garrafas plásticas, potes de alimentos, embalagens de produtos de limpeza ou de higiene pessoal (shampoo, creme,...), sacos, sacolas, copos e pratos plásticos descartáveis, isopor, baldes, bacias, tubos e canos, peças plásticas de brinquedos, etc.

Também os produtos derivados de acrílico, são recicláveis embora nem todo reciclador de plásticos recicle o acrílico, por ter um processo um pouco mais complexo. Para mais informações acesse 
www.indac.org.br
 
O isopor (poliestireno expandido) já pode ser reciclado. Em 2007 foram produzidas 55 mil toneladas de isopor, mas estima-se que só 5 mil ton tenham sido reaproveitadas. 
A Pró-Eco é a única recicladora totalmente dedicada ao isopor no Brasil. Ela tem capacidade para processar 600 ton isopor mensalmente, mas até agora só tem recebido 100 ton isopor por mês. Os motivos para a ociosidade da indústria, segundo ele, são a pouca conscientização da população e das empresas consumidoras de embalagens de isopor, além da dificuldade logística causada pelo grande volume e pouco peso do material.
Se não houver um recipiente específico no Posto de coleta seletiva, deixe junto com o PLÁSTICO.
 
Não são recicláveis tomadas, papel celofane, absorvente higiênico, fraldas descartáveis, preservativos, cotonetes, borracha, pneu, espuma, etc. 
 
Só recicle sacolas ou sacos plásticos rasgados ou que não tiverem mais condições de ser usados.
 
Lave sacos e recipientes plásticos sujos antes de reciclar. É importante que os materiais separados estejam limpos para que possam ser reciclados. Caso contrário, acabam sendo descartados no lixo comum nos postos de coleta seletiva.
 
Leve os recicláveis a um ponto de coleta seletiva. Saiba mais no item Reciclagem e 4Rs
 
 
5. Reeduque
 
Se cada um se esforçar e mudar seus hábitos, estará fazendo a sua parte para preservar o planeta.
 
Seja um multiplicador. Passe as orientações que aprendeu aqui para amigos, familiares e outras pessoas. Incentive-os a também preservar o planeta. Faça parte dessa corrente para conscientizarmos e estimular a mudança de atitudes junto ao maior número de pessoas possível.
 
Estimule a mudança de atitudes em seu prédio, escola, trabalho, igreja, clube  e organizações. Saiba se já existe projetos em andamento. Dê sugestões que contribuam para a economia de água, energia e recursos naturais. Fale sobre a importância da implantação da coleta seletiva e outras orientações que ajudem a preservar o planeta. 
 
Divulgue o site www.abraceoplaneta.com.br para amigos e conhecidos. 
 
Estes são apenas alguns exemplos de como suas ações podem ajudar a garantir um futuro saudável e seguro para o planeta e para todos que nele habitam.
 
A natureza conta com sua ajuda. Leve essa idéia adiante!
 

 
Você sabia que...
... apesar de ser um material prático e de baixo custo, flexível, resistente e durável, o plástico pode demorar 50 a 450 anos para se decompor.
... um saco plástico convencional é fabricado em um segundo, usado durante 20 minutos e, se não for reciclado, leva aproximadamente 400 anos para se decompor naturalmente e  produz gás metano, 21 vezes mais poluidor que o gás carbônico.
... se você usar em média um saco/sacola plástica por dia e considerar que esta demorará somente 50 anos para se decompor, quando o primeiro saco começar a se degradar, você já terá utilizado mais de 18.000 sacos plásticos. Onde colocaremos tanto lixo?
... o isopor funciona como isolante nos aterros sanitários, dificultando a degradação do lixo orgânico. Seu grande volume também agrava a situação dos aterros sanitários, que já estão com sua capacidade acima do limite.
... a produção de 1kg de plástico de garrafas PET consome petróleo (recurso finito), 17,5 litros de água e resulta na emissão de mais de 6 poluentes significativos do ar.
... só 15% dos plásticos rígidos e flexíveis consumidos no Brasil retornam à produção como matéria-prima? Deste total, 60% provêm de resíduos industriais e 40% do lixo urbano.
... resíduos plásticos ameaçam a vida marinha, pois podem matar os animais estrangulados ou engasgados ao engolir o plástico jogado nas praias ou esgoto despejado no mar. Aumentam o risco de enchentes, pois entopem bueiros e a rede de esgoto. Favorecem a proliferação do mosquito da dengue, pois potes e copos plásticos jogados fora podem acumular água parada da chuva.